Ponto de Vista
3

Religioso, sim… Hipócrita, nunca!

Vá entender a cabeça desses artistas. No começo de suas carreiras, vendem até a alma pro diabo para conseguir um lugarzinho ao sol. Fazem coisas que até Deus duvida para sair do sufoco financeiro que adquiriram ao longo de toda uma estrada na arte. Enfrentaram concursos, eliminando vários concorrentes; tudo na intenção de ter um […]

Religioso, sim… Hipócrita, nunca!

Vá entender a cabeça desses artistas. No começo de suas carreiras, vendem até a alma pro diabo para conseguir um lugarzinho ao sol. Fazem coisas que até Deus duvida para sair do sufoco financeiro que adquiriram ao longo de toda uma estrada na arte. Enfrentaram concursos, eliminando vários concorrentes; tudo na intenção de ter um reconhecimento pelo trabalho e serem célebre nos quatro cantos do País.

O que não dá para entender é o porquê do arrependimento depois. É assustador o número de famosos que enxerga o sucesso como coisa do diabo e envereda pelo mergulho em uma religião. Abominam tudo que fizeram durando o sucesso arrebanhado com muito sacrifício, e hoje carregam uma cruz de arrependimentos, num sofrimento injustificável.

Num site específico para esse tipo de crítica, chamou minha atenção o exagero de muitos que aderiram de alguma forma a um fanatismo ao ponto de abandonarem até a família e terem opiniões contrárias a qualquer lógica, desvalorizando até aqueles que o amam.

Carla Perez, a primeira loira do É O Tchan, era considerada o símbolo sexual dos anos 90, com suas coreografias de deixar qualquer homem de queixo caído na sua performance do grupo baiano, que na época era a febre do momento. Casada com o cantor Xandy, é mãe de Camily Vitória e Victor Alexandre. Na atualidade, a loira mais desejada do País costuma compartilhar com seus seguidores palavras de fé da comunidade evangélica Artista de Cristo desde a época em que se converteu, em 2006, após um dissabor em seu casamento. Disse em algumas entrevistas que hoje é “mulher de Deus” e se arrependeu de muitas coisas que fez no passado; uma delas foi ter posado nua para a revista “Playboy”. Até as pessoas que a seguem no meio virtual fazem críticas pesadas, e um comentário de uma fã abriu um leque de discussão.

“Unica coisa que eu acho… É que o passado não apaga. Você pode recomeçar, mas o que está feito, está feito. Errar todo mundo erra, mas ser hipócrita é demais. Gosto das pessoas que mudam de vida mas não negam o que fizeram, como muitos que estão aí nas fotos. Muitas denominações de igrejas que nem conheço. A religião é dos homens, Deus é um só. Se você faz algo que acha errado, a culpa não é das pessoas ou da religião que você seguia, e sim sua, que acha melhor colocar a culpa dos seus erros nos outros. Por que não devolve o dinheiro que ganhou na Playboy? O dinheiro foi bom, não é? Sinceramente, pessoas que procuram religiões para apagar o passado têm uma dívida muito grande. E essa conta vai ser cobrada, com certeza”.

Justin Bieber chegou a cancelar alguns shows marcados depois que resolveu se dedicar a Cristo, envolvido na igreja Hillsong. Pediu desculpas aos fãs, que ficaram bastantes furiosos, e concluiu dizendo que o pastor da sua igreja era para ele igual a um pai.

Outro fato curioso foi a mudança radical do ator Tom Cruise, que segue a Cientologia com veemência. Segundo a imprensa mundial, o ator hollywoodiano teria deixado de ver sua filha, Suri, por causa dos costumes da religião.

Demi Lovato, por exemplo, chegou a usar o anel de pureza por causa da crença, que significava o celibato, e esperava o momento certo para o amor verdadeiro.

Se fosse realmente citar a quantidade de famosos que abandonaram suas carreiras em prol de uma conversa bonita, de espertalhões dentro de templos religiosos, que aproveitaram momentos frágeis para ludibriarem a cabeça dessas pessoas promulgando que elas estavam no caminho errado por causa de ações demoníacas… Enquanto isso, eles aproveitam para assaltar, à mão desarmada, os bolsos dessas pessoas carentes de uma palavra amiga e ficam salivando iguais a lobos sedentos, de apóstolos que vão se afundando cada vez mais num poço sem volta, numa grande lavagem cerebral, a fim de guardar no seu templo o baú cheio de ouro que estes novos adeptos arquivam em suas contas bancárias.

No meu ponto de vista, vou muito naquele ditado popular que “CABEÇA QUE NÃO PENSA, O CORPO PADECE”. Acredito veementemente que o ser humano tem que, de alguma forma, ter sua mente ocupada, e as atitudes desses artistas provam essa teoria; pois não encontro outra forma de entender o tal motivo do exagero religioso provocado por diabos vestidos em peles de cordeiros, que muitas vezes fica bem claro que sai do controle celestial e vira um grande caso de polícia.

Por Flávio Cavalcante
Foto: Divulgação

Compartilhar:
  • mail

Escrito por Redação MeDiz

There are 3 comments

  • REGINA Aparecida Simões disse:

    Realmente o escritor está certíssimo em sua coluna.Quanto a hipocrisia das pessoas principalmente dos famosos.Como ele comenta a maneira como se deixam “levar ” por gente que tem a capacidade de influenciar as outras.Não sabemos qual o sentido verdadeiro dos artistas em querer se redimir, se é que querem mesmo?Seria arrependimento? Vergonha de um tempo outrora nada incompatível com o de hoje?Ou como menciona o escritor somente falsidade e nada mais, tanto deles e dessas pessoas que se dizem “santas”e só querem uma parte ou toda do quinhão dos mesmos já fragilizados.Mas na minha opinião um dos fatores que se deixam influenciar seria a condição cultural que poucos a tem. Posso até estar errada, não sei.

  • Maxwell disse:

    Nenhum tipo de fanatismo é saldável, as pessoas diminuem o tamanho de Deus com essa loucura, vamos ter uma fé, vamos crer em Deus, mas sempre com sabedoria e sobriedade.

  • Maurício cunha disse:

    É isso aí meu amigo, falou e disse!

  • Leave a comment

    Want to express your opinion?
    Leave a reply!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *