Ponto de Vista
2

O nordeste entre a costureira e o cangaço

Por: Flávio Cavalcante O nordeste e suas histórias fabulosas compondo mais uma vez os roteiros cinematográficos de grandes produções no próprio cenário de origem. Dessa em vez Pernambuco, atores das regiões vizinhas se deliciam com a oportunidade de participação de mais um produto presenteado pelo prato recheado das fabulosas histórias que o Nordeste oferece. A […]

O nordeste entre a costureira e o cangaço

Por: Flávio Cavalcante

O nordeste e suas histórias fabulosas compondo mais uma vez os roteiros cinematográficos de grandes produções no próprio cenário de origem. Dessa em vez Pernambuco, atores das regiões vizinhas se deliciam com a oportunidade de participação de mais um produto presenteado pelo prato recheado das fabulosas histórias que o Nordeste oferece.

A brilhante atuação das protagonistas Marjorie Estiano e Nanda Costa muito bem comentadas pela crítica pela originalidade da interpretação, dão à trama “Entre irmãs” passada nos anos 1920 e 1930, conotando todo infausto à afirmação feminina.

A história é baseada no livro de Frances de Pontes Peebles “A costureira e o Cangaceiro”, retrata a existência de duas irmãs Luzia e Emília que foram criadas para serem costureiras e no meio da trama acabam se afastando. Luzia vai atrás de um violento grupo de cangaceiros enquanto, Emília sonha com o seu príncipe encantado e deseja mudar para a capital. Irmãs inseparáveis com sonhos divergentes, nascidas no sertão, criadas pela tia que sempre deixou bem claro que tudo que elas têm é uma à outra. Breno Silveira assina a Direção depois de ter embaixo das mangas outras grandes direções de muito sucesso como: “2 filhos de Francisco”, “Era uma vez” e “Gonzaga – De pai para filho”. No elenco ainda é composto de grandes nomes Julio Machado, Rômulo Estrela, Letícia Colin, Gabriel Stauffer, Cláudio Jaborandy, Cyria Coetro, Ângelo Antônio, Fábio Lago e Rita Assemany.

A preparadora de elenco “Sibele” foi buscar atores no berço de talento alagoano; atores com bastante experiência e com um curriculum bastante expressivo em várias outras produções da Rede Globo. No elenco de Alagoas ficou por conta de uma extensa relação: Naeliton Santos ficou com a personagem (Velho Peão), Alberto do Carmo (Frade), Nival Azarias (Cangaceiro Arapiraca), O comediante Badulyma (Fotógrafo), Kleyton Alves (Fala Mansa), Márcia Mariah (Viúva Carvalho), Fábio Moura (Figuração), Rogério Dias (Cidadão – O cabra que dançou nu). Além de muitos outros atores da cidade de Piranhas em Alagoas.

Em entrevista com o ator local Naeliton Santos revelou-me que assim que recebeu o convite para fazer o teste, não imagina do que se tratava; segundo o ator de bastante expressividade no Estado de Alagoas, teve a primeira impressão de que seria para estar em um filme ou uma novela da Globo, já que foi escalado para tais produções desse tipo, como: Velho Chico, Deus é Brasileiro e outras produções, com papeis bastante destacados. Hoje, o ator aplica cursos de teatro e Tv no Estado e adjacências, “Ato Cênico” é o título que carrega o curso, aplicando técnicas de televisão, teatro e cinema.

No meu ponto de vista, estava na hora das emissoras de televisão e produções cinematográficas enveredarem em busca de novos talentos e o Nordeste é um berço rico deste produto, que precisa ser explorado. Neste berço, temos talentos ativos nas artes cênicas e televisivas, desconhecido no grande país, mas, conhecidos e reconhecidos pelos seus devidos talentos nos Estados onde habitam, o que precisa para mudar o quadro da mesmice na televisão do país é dar oportunidade para estes talentos mostrarem seus trabalhos, que certamente terão muito para contribuir e levar ao espectador e telespectador algo novo para o deleite da família que espera sentar à frente da tv e curtir uma programação aprazível para toda a família.

Compartilhar:
  • mail

Escrito por Redação MeDiz

There are 2 comments

  • Fábio Moura disse:

    Bom dia aqui é Fábio Moura .ator ,produtor e diretoregião teatral. .Gostaria que force corrigido a colocação ao referente a minha participação na mini série enote irmãs , pois eu não fui figurante , fui contratado como ator e assistente da produtora de elenco . peço que corrija até porque não me foi consultado antes pra ser colocado meu nome .. Caso não seja corrigido irei procurar meus direitos na justiça pois sou ator e não aceito a forma como foi colocado …eu fui ator e assistente da produtora de elenco …qualquer dúvida meu contato é 082988281197 ..

  • Naéliton Santos disse:

    Esse foi um filme muito bem aceito pela população alagoana. Fico muito grato em ter participado de uma obra consagrada. Essa consagração só foi possível por conta de um trabalho sério do diretor Breno Silvéira e de toda equipe. Viva o cinema brasileiro.
    Obrigado pelo carinho Flávio Cavalcante!

  • Leave a comment

    Want to express your opinion?
    Leave a reply!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *